Você conhece o Beagle?

— BEAGLE: UM ETERNO BRINCALHÃO

É quase impossível resistir ao olhar suplicante de um Beagle.

Carinhoso, paciente e muito brincalhão, ele está sempre pronto para uma boa festa.

Com um olhar que parece suplicar por carinho e atenção de seu dono, o Beagle é um grande conquistador. Paciente e brincalhão, ele é ideal para quem tem crianças em casa, resistindo por horas aos mais diversos tipos de brincadeiras infantis.

A raça apresenta temperamento forte e corajoso, tem grande resistência física, é veloz e parece incansável. Com o dono, é companheiro e está sempre procurando chamar a atenção. Por isso, ter um exemplar da raça não é para qualquer um. Quando filhote, necessita de estímulo constante. Caso contrário, pode destruir tudo o que encontrar pela frente só para se manter ocupado.

Caça  

Os beagles foram desenvolvidos principalmente para a caça de lebres, uma atividade conhecida como beagling. Eles eram vistos como os companheiros de caça ideal para idosos que poderiam seguir a cavalo sem exercer-se, para jovens caçadores que poderiam acompanhá-los em pôneis e para os caçadores mais pobres que não podiam se dar ao luxo de manter um estábulo de bons cavalos de caça. Antes do advento da moda da caça à raposa no século XIX, a caça era um evento que levava um dia inteiro, em que a diversão era obtida a partir da perseguição, ao invés da morte. Neste cenário, o pequeno beagle era bem adaptado à lebre. Ao contrário dos harriers eles não iriam acabar rapidamente com a caça, mas suas excelentes habilidades olfativas e força quase garantiam que finalmente pegassem a lebre no final da caçada. As matilhas de beagles corriam em conjunto, o que era útil em uma longa caçada, pois impedia cães vadios de obscurecer o rastro. No mato denso, os beagles eram também mais preferidos que os spaniels para caçar faisões. Com a moda de caça mais rápida, o beagle caiu em desuso para perseguir lebres, mas ainda era utilizado para a caça ao coelho. O beagle tem sido utilizada para caça ao coelho desde o início do desenvolvimento da raça.

Nos Estados Unidos, a raça foi empregada, desde as primeiras importações, principalmente na caça aos coelhos. A caça a lebre com beagles tornou-se popular novamente no Reino Unido em meados do século XIX e continuou até que ela tornou-se ilegal na Escócia pela lei de "Proteção dos Mamíferos Selvagens" de 2002, e na Inglaterra e País de Gales pela Lei de Caça 2004. Segundo esta legislação, beagles ainda podem caçar coelhos com a permissão do proprietário. A caça de arraste é popular onde a caça já não é permitida ou para aqueles proprietários que não desejam participar de atividades esportivas de sangue, mas continuam a querer exercitar as habilidades inatas do seu cão.

Como caçar com beagles foi visto como ideal para jovens, muitas das escolas públicas britânicas tradicionalmente mantinham canis de beagles. Protestos foram interpostos contra o uso de beagles para a caça pelo Eton College desde 1902, mas o canil ainda está em vigor hoje, e uma matilha usada pelo Imperial College foi roubada pela Animal Liberation Front em 2001. Canis de beagles ainda são mantidos por escolas e universidades como Eton, Marlborough, Wye, Radley, Royal Agricultural College e Christ Church.

Beagles têm sido utilizados para a caça de uma ampla variedade de espécies, incluindo a lebre-americana, coelhos-de-cauda-de-algodão, aves de caça, corças, veados-vermelhos, linces-pardos, coiotes, javalis e raposas, e foi registrado como sendo usado para caçar arminhos. Na maioria destes casos, o beagle é empregado como um cão de caça, preparando terreno para as armas do caçador.

Quarentena

Beagles têm um excelente olfato. Este cão é empregado pela Alfândega e Agência de Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos.

Beagles são usados como cães de detecção da Brigada Beagle do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Estes cães são utilizados para detectar alimentos na bagagem nos Estados Unidos. Após a experimentação de várias raças, os beagles foram escolhidos porque são relativamente pequenos e não intimidam as pessoas que se sentem desconfortáveis em torno dos cães, são fáceis de cuidar, inteligentes e trabalham bem por recompensa. Eles também são utilizados para este fim em uma série de outras países, inclusive pela Nova Zelândia, Austrália, e Canadá, Japão e República Popular da China. Raças maiores são geralmente utilizadas para a detecção de explosivos, muitas vezes envolvem subir na bagagem e em grandes correias transportadoras, trabalho que o beagle, por ser menor, não é adequado.

Um Cão Sociável

Bem longe de ser um cão de guarda, o Beagle costuma receber bem os visitantes. Às vezes late um pouco, mas logo faz amizade. Com outros animais, sejam eles cães, gatos ou pássaros, convive com harmonia e é muito simpático.

Manejo Facilitado

O Beagle é um cão rústico, que quase não precisa de cuidados especiais. Os ouvidos devem ser limpos a cada 15 dias e a escovação feita semanalmente.

Outra característica da raça é a inteligência. É comum surpreender um Beagle observando atentamente os hábitos de seu dono e depois repetindo-os com a maior naturalidade. Além disso, percebe facilmente as mudanças de humor, fazendo de tudo para alegrar um dono triste.

Apesar de ser um cão de caça, pode se adaptar bem em espaços pequenos, desde que seja levado diariamente para se exercitar e tenha sempre à disposição brinquedos de tipos variados. Outra opção para quem deseja um Beagle mas não tem tempo suficiente para lhe dar a atenção exigida é adquirir dois exemplares da raça, para que um possa fazer companhia ao outro.

Dicas Para o Futuro Criador de Beagle

• O Beagle é um cão ativo, portanto, garanta ao seu exemplar algumas opções de entretenimento como passeios diários e brinquedos variados.

• Eduque seu cão desde cedo, mantendo pulso firme e mostrando que você é o líder.

• Por apresentar pelagem curta, a raça não exige cuidados especiais no que se refere à pelagem. A dica é escovar seu animal pelo menos uma vez por semana para retirar os pelos mortos.

• O Beagle tem fama de guloso. Por isso, alimente seu animal com ração balanceada e de qualidade, evitando problemas de obesidade.

• Não esqueça: ter tempo para dar carinho e atenção e contar com uma boa disposição física são quesitos fundamentais para o futuro proprietário de um Beagle.

Conheça o padrão oficial da raça 

— PERGUNTAS FREQUENTES —

Vocês têm beagle mini?

O Pocket Beagle que significa Beagle de bolso, é uma variedade que foi descrita em literatura, na qual os cães mediam entre 23 e 25 centímetros de altura na cernelha (similar ao nosso ombro), fato que facilitaria aos caçadores que os acompanhassem a pé durante a jornada ao invés de montados a cavalo. Esta criação perdeu espaço porque exemplares desta variedade costumavam apresentar uma série de defeitos genéticos de ordem reprodutiva, locomotora e possivelmente de personalidade, o que desestimulou os criadores. Para se atingir uma estatura menor em todo o plantel, foi feita manipulação genética, onde apenas padreadores e matrizes muito pequenos eram acasalados e, como eram poucos, foram feitas coberturas entre parentes, ao longo de gerações potencializando os defeitos genéticos mencionados.

Algumas pessoas, por preferência pessoal ou por acharem que fará alguma diferença, procuram Beagles mini, ou Pockets Beagles. As diferenças de estatura costumam ocorrer naturalmente, e estando dentro das medidas padrão, isto não deve ser um fator determinante para a escolha de um filhote. A medida correta de um beagle está descrita no padrão oficial da raça. Os beagles devem ter entre 13 e 15 polegadas (o que corresponde a 33 - 41cm). Qualquer variação dentro disto está correto. Da mesma forma que beagles com menos de 33cm de altura na cernelha ou com mais de 41cm deveriam ser retirados de qualquer plano de reprodução.

Dito isto, não tenho beagle mini. Os Beagles do canil Forte do Rio Negro possuem estatura média. Claro que uns um pouco maiores e outros um pouco menores, mas dentro desse limite que o padrão instrui.

Qual o dono ideal para o Beagle?

O Beagle vive bem com qualquer pessoa e gosta de ser o centro das atenções. De temperamento forte precisa ser dominado e controlado pelo proprietário sabendo aonde são os seus limites.

O Beagle se dá bem com crianças?

Sim, as crianças adoram o Beagle e eles adoram as crianças, pois eles interagem com as crianças na forma de brincadeiras. Adoram brincar de trazer bolinhas e fazem arte para chamar a atenção.

Posso tosar meu beagle?

O Beagle possui um pelo curto, não é necessário tosar. No máximo fazemos uma espécie de tosa higiênica e aparamos o pelo em algumas áreas específicas como pescoço, barriga e rabo, mais por uma questão estética e que não prejudica o cão. Raspar os pelos da barriga por exemplo ajuda o filhote na hora da amamentação, mas não tem problema nenhum deixar os pelinhos por ali.

Beagle solta muito pelo?

Ao contrário do que as pessoas pensam, cães de pelo curto soltam mais pelos do que cães peludos. A troca de pelo de um beagle é grande, para manter a pelagem sempre lustrosa. Uma a duas vezes ao ano a queda se acentua e no intervalo existe uma queda pequena porém constante de pelo. Para diminuir a queda de pelo no ambiente são indicadas escovações frequentes na pelagem do beagle. Utilizando rasqueadeiras ou produtos específicos contra queda de pelo como o furminator podemos controlar a queda de pelos.

Com essa carinha doce deve ser bem tranquilo, certo?

O olhar de um beagle engana qualquer um, essa carinha doce esconde um cão extremamente ativo. O Beagle precisa de bastante atividade física e lúdica (brincadeiras, adestramento, etc). Tanto para evitar obesidade como para evitar entediamento, que é a principal causa de roedura nos móveis da propriedade e "destruição" da casa. Passeios na rua prolongados, brincadeiras com bolinhas ou com produtos específicos para cachorro são necessários para a saúde e a convivência adequada com o seu Beagle.

O Beagle late muito?

Não muito, mas sim late. Normalmente os latidos são para chamar o dono ou quando veem animais (lembrem-se da origem de caça). Um beagle que tem suas necessidades atendidas e tem uma boa dose de exercícios será um beagle silencioso, com raras exceções. Não costuma latir para visitas, apenas chama para brincar, que é o seu forte.

Tem alguma outra pergunta que não esteja aqui?

Faça sua pergunta aqui

Posso criar um beagle em apartamento?

Se você tem muita vontade de ter um beagle, mas mora em apartamento, terá um desafio a mais. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de cachorros já supera o de filhos pequenos nos lares brasileiros. Isso é sinônimo de famílias menores e, consequentemente, apartamentos cada vez mais compactos. Por esse motivo, algumas dicas ajudarão você e o seu beagle a terem um convívio mais tranquilo e feliz dentro do apartamento e com a vizinhança.

Não é preciso abrir mão da alegria de ser recebido por um beagle cheio de amor ao final de um dia cansativo só porque mora em apartamento. Basta seguir algumas dicas!

1. Analise todos os aspectos

Apartamentos são caracteristicamente mais compactos. Então, se a intensão não for deixar o beagle circular livremente pelos ambientes, é melhor repensar a decisão. Manter um cãozinho confinado por muito tempo em lugares pequenos, como sacadas ou áreas de serviço, o deixará bastante infeliz.

Antes de levar o beagle, deixe o apartamento seguro. Coloque telas nas janelas e sacadas (acredite, eles conseguem pular bem alto quando querem). Se houver necessidade de limitar a passagem do beagle para um cômodo específico, como a cozinha, utilize uma grade de porta. Elas são ótimas por não impedirem a visão do cão, deixando-o menos ansioso.

Lembre-se de que morar em condomínio é compartilhar responsabilidades com todos os outros moradores. Logo, para criar cachorro em apartamento é preciso conhecer todas as regras relativas à permissão de animais: quantidade permitida, circulação em elevadores e áreas comuns etc.

2. Separe um cantinho para seu melhor amigo

Crie um cantinho especial para o cão, mesmo que ele circule por todo o apartamento ou durma com você. Com isso, quando ele estiver sozinho, terá um lugar de costume para ficar e saberá onde encontrar suas coisinhas.

Nesse cantinho, coloque uma caminha confortável e uma caixa com os brinquedos do cãozinho - para mantê-los organizados. Não é preciso de muito espaço, pode ser um canto da sala ou do quarto. Ou até mesmo a varanda ou área de serviço, desde que seja um lugar protegido para ele. Não pode ser quente ou frio demais, e longe de produtos químicos, lixo...

Escolha um local para que o cão faça suas necessidades, afinal, o bichinho não ficará segurando até a hora do passeio, né? Pode ser na sacada ou qualquer outro lugar arejado.

3. Mantenha a limpeza em dia

Para criar um cachorrinho dentro de um apartamento é preciso ter um pouco mais de disciplina com relação à limpeza.

Organize-se para fazer a cada dois dias:

-usar o aspirador de pó para retirar o excesso de pelos soltos pela casa, móveis e estofados;
- passar pano com desinfetante diluído em água por todo o piso (quando indicado).

Deve ser feito, pelo menos, uma vez ao dia:

- retirar as necessidades feitas pelo cãozinho, limpar o local com desinfetante e trocar o tapete higiênico ou jornal;
- lavar e trocar as vasilhas de água e comida para evitar o acúmulo de poeira e criação de fungos prejudiciais à saúde do animal.

4. Não descuide do banho

Cachorros criados em apartamento tendem a se manter mais limpos do que os que ficam em lugares abertos. Mas é preciso lembrar que eles saem para passear e que os cães têm um cheirinho característico mais forte que pode tomar conta do ambiente.

Portanto, o banho é necessário a cada 30 dias, porém por causa do cheiro talvez você queira dar com mais frequência. Um veterinário pode indicar a melhor periodicidade.

5. Eduque seu beagle

Eduque, desde cedo, seu beagle sobre o que ele pode fazer, onde pode entrar ou subir e o que ele pode (e não pode) comer. Além de facilitar seu dia a dia, ainda evitará que ocorram acidentes nos momentos em que ele estiver sozinho.

A técnica da recompensa é a que melhor funciona na hora de ensinar algo a seu cãozinho, como o lugar correto de fazer as necessidades, por exemplo. Mostre como (ou onde) deve ser feito e, quando ele agir corretamente, dê os parabéns, faça festa e dê um petisco.

O mais importante é sempre ter paciência.

6. Enriqueça o ambiente

É muito comum o cachorro ficar várias horas sozinho enquanto os donos estão trabalhando. E nessa hora, se ele não tiver com o que se distrair, seus sapatos e móveis podem não sobreviver.

Uma opção muito legal é ter mais de um cãozinho para evitar a solidão, mas se isso não for possível, prepare o ambiente para esse período.

Compre brinquedos que o estimulem a se movimentar, que agucem a curiosidade e o mantenha ocupado, como bolinhas e mordedores resistentes. E sempre deixe mais de um tipo de brinquedo disponível.

Mas lembre-se: antes de deixar o cão sozinho com um brinquedo novo, deixe-o testar em sua presença, para ter certeza de que não engolirá pedaços grandes ou se machucará.

Não esqueça dos vizinhos do apartamento de baixo e evite brinquedos que façam muito barulho ao cair.

7. Dê muita atenção a seu amigo

Permanecer longos períodos dentro do apartamento ou sozinho pode gerar ansiedade e estresse no cão. Por isso, leve-o para passear pelo menos uma vez ao dia, com duração de no mínimo 30 minutos.

O passeio frequente evita o sedentarismo, a obesidade e proporciona ao animal a interação com outras pessoas e cães, o que é muito importante no desenvolvimento da sua personalidade.

Quando não for possível sair para passear, faça brincadeiras dentro do apartamento mesmo. Peça para trazer a bolinha, pular para pegar uma corda ou qualquer outra atividade que faça o cãozinho se movimentar.

FORTE DO RIO NEGRO BEAGLES, Ponta Negra, Manaus, 92 98157 2512
Desenvolvido por Webnode
Crie seu site grátis!